O DEM e o ressurgimento da direita/centro-direita no país

O DEM tem condições de ocupar o espaço deixado pela UDN? Por Wilson Oliveira (O Congressista), A nova realidade política brasileira impõe que partidos e candidatos sejam o mais específico possível ao defenderem determinadas bandeiras. Está cada vez mais insustentável se apresentar com uma plataforma genérica, sem face, que tende agradar a todos, pois o…

A urgência da renovação política

A eleição paulistana foi um exemplo da urgente necessidade de renovação das lideranças partidárias Editorial Estadão (04/out), A eleição paulistana foi um exemplo da urgente necessidade de renovação das lideranças partidárias. Não se trata apenas de apresentar na campanha um rosto desconhecido com o objetivo de explorar o cansaço do eleitor com os candidatos de…

Polêmicas à parte!

Por José Crespin, Referente aos fatos recém ocorridos no cenário nacional, cumpre-nos lembrar de que os que agora protestam são os mesmos que votaram no presidente que assumiu. As práticas adotadas e os membros do governo pouquíssimo diferem da gestão anterior. Além das nomeações e ajustes propostos,  a protelada “retirada de direitos”, já ocorreu quando,…

Ora Toca a Noi

  Por Tony Goes, A eleição de Virginia Raggi para prefeita de Roma me fez pensar. O clima de saco cheio com a política tradicional não é exclusivo do Brasil. O mundo inteiro vive essa crise, e às vezes as saídas são mesquinhas como Donald Trump ou o Brexit. Mas também existem novidades, como os…

Partidos têm 1 ano para transformar Comissões Provisórias em Diretórios

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu conceder um ano para que todos os partidos do país estabeleçam em seus estatutos um “prazo razoável” para que suas unidades municipais e estaduais formem diretórios, em substituição às comissões provisórias. Os diretórios obrigam que o processo de escolha de candidatos a cargos públicos ocorra por votação dos filiados,…

Prévias partidárias no Brasil (Charge: Duk)

Prévias? Não no meu partido

Quem quer se candidatar ao Legislativo e Executivo tem de se sujeitar ao mandão partidário, pois não há candidatura avulsa Marco Antonio Villa  (O Estado de S.Paulo, julho de 2011), A história do Brasil republicano é marcada pela pobreza ideológica e por uma estrutura invertebrada dos partidos. Na Primeira República (1889-1930) as agremiações eram estaduais.…

A fraude do radicalismo

Os radicais fizeram uma Constituição que nos garante inúmeros direitos, e o país continua violento, injusto, corrupto Por Roberto Motta (ex-Presidente NOVO-RJ), Rio – Nessa época é comum ver o político de punho fechado. “É preciso mudar o que está aí”, ele diz. “É preciso uma mudança radical.”O Brasil está cheio de radicais, de pessoas…

Partidos - Monopolio da representação política

O monopólio da representação dos partidos políticos

  Por Alberto Fragoso, O sistema eleitoral brasileiro possui singularidades muito marcantes, notadamente no que se refere ao formato jurídico dos colegiados políticos e sua sistemática partidária. Ao lado das ordinárias e universalmente conhecidas metodologias que conferem arrimo e fundamento de validade aos pleitos eleitorais, com suas não tão compreensíveis regras e disciplinamentos, os partidos…

Farinha do mesmo saco (Candido Neto)

Qual o papel do NOVO no cenário político brasileiro?

  Editorial 30, Desde o movimento Diretas Já (1983-84), o povo brasileiro não saía espontaneamente às ruas, em uníssono, a reivindicar os seus direitos. Vimos novamente uma juventude aguerrida, dita antes preguiçosa por pais e avós, não apenas gritar no mundo virtual, mas tomar o espaço público em 2013, a exigir o que é seu por direito: saúde,…

Obama Effect - Partido NOVO

Partido NOVO pode repetir o Efeito Obama

Ser um fenômeno na Internet não é garantia ao Partido NOVO do mesmo sucesso no mundo real. A transposição das virtudes digitais em algo palpável, já para as eleições de 2016 ou mesmo para o longínquo pleito de 2018 é ainda uma tarefa árdua. Os requisitos fundamentais porém, estão postos: massa eleitoral conectada, timing político…

O paradoxo do divergente

São poucas as ocasiões em que o dia de natal se dá ao luxo de repousar em uma sexta-feira. Praticamente uma saturnália, para alegria daqueles que podem se dar ao luxo de estar entre os seus, por tantos dias. Diria até, tempos oportunos, para os que buscam por trabalho ou aguardam os tempos de festas…

Fim do Bipartidarismo na Espanha

Dois novos partidos alteram o panorama político na Espanha. O Podemos, partido de esquerda fundado em 2014 e o Ciudadanos, partido de centro-direita fundado em 2006. O Podemos é um sucesso estrondoso nas redes sociais da Espanha. Com apenas quatro meses de criação, obteve 8% dos votos para o Parlamento Europeu e direito a 5…

O lado bom (ai!?) da persistência de Dilma no poder

Por Prof. Paulo Moura, Numa passagem de “O Príncipe”, Maquiavel enuncia uma de suas “leis do poder”, segundo a qual, o poder que se conquista com facilidade, perde-se com facilidade e, vice e versa, o poder que se conquista com dificuldade é muito mais dificilmente retirado das mãos de quem assim o conquistou. A trajetória…

Conselhos ao Partido Novo

Texto de Arthur Rizzi, O Partido NOVO, como sabemos, é uma agremiação política de centro que pretende representar o liberalismo econômico e que recebeu inúmeras adesões e alcançou as 500 mil assinaturas de que precisava para existir como partido elegível. Porém, acho que a abordagem economicista do partido é extremamente frágil, então, decidi dar uns conselhos…

O ‘Podemos’ está perdendo feio para um partido pró-mercado

Por Pedro Menezes, Não se trata da primeira vez em que crises econômicas levam a mudanças profundas no jogo partidário, mas na Espanha este fenômeno alcançou a dimensão de uma pequena revolução. Desde os anos 80, quando as lembranças da ditadura militar de Francisco Franco ainda estavam frescas, dois partidos se consolidaram como dominantes na política espanhola:…