Me meter em política? Eu?


Coluna do Filiado - Voz do Partido NOVO

 

Por Dr. Júlio César Martins Casarin,

Já se vão quase 30 anos que sou advogado e exerço com orgulho minha profissão! Juntamente com a maioria esmagadora dos brasileiros, estive eu à margem da política partidária, apenas observando-a e estudando seu curso, sempre atento e vigilante.

Participei de política na faculdade (Diretório Acadêmico) e da política de classe (OAB e Associação dos Advogados), sem nunca haver me filiado a nenhum partido. Contudo, no final do ano passado, após correr a São Silvestre e passar a virada em Copacabana, decidi que em 2016 iria participar ativamente deste momento histórico, como cidadão e profissional do Direito. Identifiquei-me desde sempre com os ideais liberais e por isso me filiei ao NOVO (Partido NOVO). Se você não conhece, recomendo firmemente!

Comecei então meus périplos pelas ruas de São Paulo, por Brasília e pelos Tribunais. Lembro-me bem que no dia 8 de março estacionei meu carro ao lado do prédio da Justiça Federal, com uma AÇÃO POPULAR em mãos contra Dilma Vana Roussef, em função da viagem espalhafatosa que fez a Lula, utilizando-se de jatos presidenciais e helicóptero, para uma visita que não tinha caráter oficial. Pedia a devolução dos gastos de tal viagem, aos cofres públicos.

Lembro bem do calor e da sensação: uma parte de mim dizia: “ligue o ar condicionado do carro e vá para casa descansar.” Outra me impelia, cobrando um dever cívico, de cidadão indignado com os desmandos no trato da coisa pública. Decidi distribuir a ação!!! E foi um caminho sem volta!!! Ali, no coração de São Paulo e no Dia Internacional da Mulher, noticiando o fato de haver ingressado com tal ação (e que depois teve larga repercussão na mídia), fiz minha estreia como militante político, defendendo os ideais nos quais acredito.

No dia 13 de março fui convidado a subir no caminhão do Revoltados on Line na Avenida Paulista, onde pude discursar para milhões de pessoas. Foi algo emocionante! Um momento inesquecível! Ver a Paulista aos poucos desaparecendo ante aquele mar de gente de bem, brasileiros e brasileiras preocupados com o Brasil e com o futuro de seus filhos é uma imagem que nunca irá se desvanecer de minha memória.

No fatídico dia 17 de março, quando o Moro liberou as gravações (o “papel” para usar em caso de necessidade, o Bessias, o “Tchau querida”), lá estava eu novamente na Paulista, protocolando outra AÇÃO POPULAR, em desfavor do ato nulo e imoral de Dilma ao nomear Lula Ministro da Casa Civil.

No dia 13 de abril estava em Brasília novamente, agora protocolando um novo processo de impeachment, desta feita com novos e poderosos argumentos, inclusive com denúncia concomitante junto à Comissão de Direitos Humanos da Corte Interamericana na Costa Rica.

No dia 17 de abril, discursei no caminhão dos movimentos de rua na Esplanada dos Ministérios em Brasília e acompanhei pelo telão o voto decisivo de Bruno Araújo nos braços do povo! Mais uma emoção para entrar na história! Voltei à Capital Federal no dia 27 de abril para pedir a cassação do mandato do Deputado que cuspiu na cara de um colega!

No dia 11 de maio, outra vez em Brasília, agora pleiteando a cassação do mandato do Presidente interino da Câmara, que numa canetada inútil, nula, ilegal e imoral abalou um país inteiro e gerou bilhões de prejuízos para o Brasil, às vésperas da votação do processo de impeachment no Senado Federal.

No dia 12 de maio, eu estava lá!!! Testemunhei pessoalmente a saída de Dilma, Lula e sua trupe ao vivo e em cores (ou em preto e branco, dado o astral tão baixo daquela gente)!!! As mentiras repetidas… os inocentes úteis… os desesperados chorando por perderem suas boquinhas… e um povo, Brasil afora, delirando de alegria!!! A história se passando diante de meus olhos!

Ontem, sexta feira, 13 de maio, ingressei com minha terceira AÇÃO POPULAR, agora, para pedir que se cumpra a lei! A presidente afastada tem direito por lei apenas à metade do salário (e quiçá carro e segurança). Jamais aviões, helicópteros, residência no Alvorada e outras regalias que lhe foram concedidas!!! A decisão será da JUSTIÇA!

Em dois meses de militância, creio que já contribui um pouco para o aperfeiçoamento do Estado Democrático de Direito em meu país! A luta e a correria são grandes, pois ninguém deixa de trabalhar por conta da militância política, muito embora “respirar seja um ato político”!!!

Recebo manifestações de apoio e carinho o tempo todo! E também xingamentos e ameaças. Faz parte. Os vídeos que gravo na página do Face do Revoltados on line atingem centenas de milhares de visualizações, o que demonstra o grau de politização e de cidadania do brasileiro! Estamos mudando como nação!!!

Finalizo reafirmando minha crença nas instituições brasileiras e dando um tímido voto de confiança para este novo Governo (o governo do “possível”). Claro que nestes 13 anos o PMDB pecou, no mínimo, por omissão. Por isso precisamos continuar atentos!!! O que estes últimos 60 dias me ensinaram foi que é preciso, mais do que nunca, participarmos da política partidária. Ter a consciência plena do papel que desempenhamos como cidadãos no processo eleitoral que se aproxima (outubro/16).

Nossa indignação precisa ser instrumento de transformação! Nossa revolta não pode nos afastar da política, ao contrário: ela precisa nos mover de maneira poderosa para que sejamos os responsáveis pelas mudanças que queremos. Cada cidadão pode fazer a sua parte.

Claro que há muito que amadurecer em termos políticos no Brasil.

Precisamos respeitar as diferenças e valorizar o voto. Precisamos conscientizar as pessoas que um partido não pode se preocupar mais com um projeto de poder e com as próximas eleições do que com a nação que lhe confiou um mandato para bem administrá-la! Um partido que tem compromisso com o Foro de São Paulo jamais servirá para governar o Brasil. Muito cuidado com o discurso hipnotizante da esquerda, em especial do novo PT, a tal REDE. Mas vejo claramente que o fisiologismo de alguns, o esquerdismo disfarçado de outros é uma máscara que logo cairá por terra.

Permanecerão partidos e políticos verdadeiros, honestos e que conduzirão nossa pátria ao destino que ela realmente merece! Um estado enxuto, desburocratizado, com pouca chance de desmandos por parte dos mandatários.

A luta não acabou! Temos muito ainda pela frente! Temos que continuar combatendo a corrupção e os enganos da esquerda. Precisamos de profundas reformas para o tão sonhado processo de transformação do Brasil. Vamos em frente!!! Que DEUS nos abençoe a todos!!!

***

Dr. Júlio César Martins Casarin, NOVO-SP.

 

Um comentário sobre “Me meter em política? Eu?

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s